12 Comentários

100Grana ouviu: Os Velhões do Rock Estão de Volta!?

Já repararam que muitos ídolos antigos estão voltando com tudo nos últimos anos? Pois é, liso, vamos ver o que está acontecendo! Confira.

 

Por Diego “Sinuhe”

Olá povo liso! Primeiramente, quero pedir desculpas pelo atraso na nossa coluna musical, que deveria ter sido publicado na Sexta-Feira passada. Devido a correria com os nossos novos planos de dominação mundial, layout, Especiais e demais supresas, infelizmente não publicamos a coluna na data certa. Mas, não se preocupem, pois a coluna do “100Grana Ouviu” continuará a ser publicada sempre as Sextas. ok?

Um abraço.

 

_______________________________________________________________

Por Marcello Gabbay

Olá amigos lisos! Seguindo nossa linha de investigação sobre os recentes acontecimentos na já tradicional história do rock, tratamos hoje da volta (uma palavra um tanto quanto perigosa!) dos velhões do rock. Nos últimos poucos anos assistimos ao ressurgimento de artistas e bandas considerados cláááássicos do rock, com discos, turnês, filmes e etc. Diria que a apresentação dos Rolling Stones na praia de Copacabana em fevereiro de 2006 foi um marco desses fatos. Nós estivemos lá, pagamos pra ver, isso, pagamos! Afinal, apesar de não haver cobrança de ingressos, o custo de ir até o Rio de Janeiro pra ver os Stones do tamanho de um batom (isso usando binóculos!) tem de ser computado. Mas antes, voltemos um pouco no tempo…

Depois dos anos 1970, aqueles artistas e bandas que fizeram a história inicial do rock passaram por um resfriamento no mercado, dando lugar a superexploração comercial do punk e depois do pop eletrônico. De certa forma, a série de mortes de artistas do gênero por motivos diversos, como Jimi Hendrix, Janis Joplin, Keith Moon (The Who), Jim Morrison, John Bonham (Led Zeppelin) e John Lennon entre 1970 e 1980 ajudou a envelhecer essa geração. Mas a partir de 1990, quem já era crescidinho pôde ver o grande revival promovido pelo surgimento das remasterizações, do CD, das grandes turnês e filmes biográficos. Foi a primeira onda, que trouxe muitos dólares e gás pra bandas como os Stones voltarem a encarar uma world tour, como a de Voodoo Louge que veio ao Brasil em fevereiro de 1994. Paul McCartney também veio aqui em 1990 e 1993; George Harrison meteu a cara fora nas turnês históricas com Eric Clapton no Japão em 1991; Paul, George e Ringo se juntaram depois de 23 anos pra lançar o projeto Anthology em 1994 com 3 CDs duplos (o primeiro bateu recorde de vendas na categoria, 10 milhões de cópias!), um documentário de 10 horas narrado pelos próprios Beatles e 2 gravações novas feitas a partir de uma fita deixada por Lennon;

Assista ao clipe de Real Love (1995) os beatles Paul, George e Ringo. OS velhões se reencontram!

Jimi Page e Robert Plant se juntaram num disco novo (No Quarter) em 1994. Naquela época o mercado ainda girava bem, mas recentemente, após a revolução da Internet, os velhões passaram por um novo revival, desta vez não tão lucrativo. A grande indústria da música bem sabe que com o advento do MP3 a venda de CDs dá lugar aos grandes espetáculos ao vivo na posição de principal fonte de renda e lucro. Os shows agora são super patrocinados e mais caros.

no-quarter_100grana.gif

Capa do disco “No Quarter”.

Após o show dos Stones em Copacabana – oriundo da turnê mundial A Bigger Bang – os sessentões ingleses lançaram essa semana o filme Shine a Light, dirigido pelo famoso Martin Scorcese, o mesme que dirigiu documentários de artistas pop como The Band (The Last Waltz) e Bob Dylan (No Direction Home, muito bom!). O diretor esteve com os Stones no 58º Festival de Berlin para apresentar o filme que mostra os detalhes de dois shows produzidos especialmente para a película em Nova Iorque, no Beacon Theatre. Disse Scorcese na coletiva à imprensa que a banda estranhou o espaço restrito a meros 2.800 espectadores e, apesar da dor de cabeça que deram ao diretor, o resultado foi ótimo; os quatro Stones assinam a produção executiva do filme! Mick Jagger ainda comentou que o filme deveria ter como fundo o show de Copacabana, mas o diretor tinha em mente um esquema mais intimista. Quem quiser conferir o show dos Stones no Rio de Janeiro em boa qualidade de som e áudio pode dar uma olhada no DVD The Biggest Band lançado ano passado, é uma caixa com 4 discos contendo cenas de shows em Austin, (EUA), Japão, Buenos Aires e Shangai, o show de Copacabana inteirinho com extras, e músicas inéditas. Uma facaaaada na casa dos 200 paus!!!!!

rolling_stones_scorcese.jpg

Nesse vídeo os Rolling Stones mandam Wild Horses na praia de Copacabana. 1 milhão de pessoas acotoveladas (menos os atores da Globo, empresários, socialaites e políticos).

Outro fato relacionado aos velhões foi o show do Deep Purple no último dia 11 em Moscou (Rússia), bancados por uma empresa estatal de energia, a Gazprom. De lá eles vêm pro Brasil, onde tocam no Rio, São Paulo e Curitiba. Já em Dezembro do ano passado algo muito raro aconteceu, o Led Zeppelin subiu aos palcos de novo desenterrando o baixista original John Paul Jones, multi-instrumentista que estava afastado do ramo há um tempo. No lugar do falecido baterista John Bonham, o filho Jason (ele atuou no filme Rockstar de 2001, baseado na história do vocalista do Judas Priest, Ripper Owens). O show histórico seguiu a trilha da coletânea lançada em novembro, Mothership, disco duplo com 24 faixas remasterizadas e selecionadas pelos próprios Zeppelins, e aconteceu em Londres. Já existem vários rumores sobre uma possível turnê em 2008. Sabe-se que 9 milhões de pessoas tentaram conseguir um ingresso praquele dia 10 de dezembro, mas somente 20 mil estiveram mesmo lá. Pra nós lisos que não fomos (lógico!) e tivemos que nos contentar com a reportagem tosquíssima no Jornal Nacional, um videozinho do Youtube…

Led Zeppeling: Jimi Page gordo e de cabelos brancos, Robert Plant velhão mas inteirão! Um curto trecho de Rock and Roll.

Outros velhões que lançaram produções à altura nesses tempos foram Neil Young com o ótimo disco Chrome Dreams II (2007); Bob Dylan com a seqüência de discos Time Out of Mind (1997), Love and Thieft (2001) e Modern Times (2006), além dos shows que vêm aí (vejam nossa coluna sobre Dylan); Paul McCartney também apresentou uma excelente seqüência de álbuns com Flaming Pie (1997), Driving Rain (2001), Chaos and Creation in the Backyard (2005) e Memory Almost Full (2007); e outro Beatles prepara uma turnê especial em alusão a eleição de Liverpool como cidade européia da cultura em 2008, Ringo Starr lançou esses dias o disco Liverpool 8, o segundo bom trabalho depois de Ringorama (2003). Bem, o Police tabém andou remexendo o baú com o reencontro no Live Earth e depois os shows que passaram pelo Brasil em novembro. O Black Sabbath também ensaia mais um retorno em meio a disse-me-disses, sabe-se que a banda andou excursionando com o vocalista Ronnie James Dio, mas no início do ano passado Ozzy Osbourne declarou à MTV americana que aceitaria se juntar aos antigos companheiros para um disco e turnê, mas até agora nada…

ozzyosbourne.jpg

Foto = Ozzy Osbourne e a esposa Sharon andam cansado dos reality shows? Ufa!

A volta desses velhões na virada do século XXI faz parte de uma tentativa das grandes gravadoras de reaver as vendagens estonteantes que eles geraram nos anos dourados, cada vez mais os grupos novos (mas novos mesmo!) têm menos espaço na indústria porque as majors têm enorme receio em arriscar num novo produto cultural. É, parece que a fórmula “mais do mesmo” é a ordem da casa, mas os bons velhões aproveitam pra se reciclar e arriscar novas experiências musicais, mostrar seu amadurecimento, não é o caso dos Bee Gees, por exemplo, relançando sempre os mesmos lá-lá-lás. Alguns até tomam coragem e partem pro mercado independente, voltam aos shows intimistas e abusam da Internet, melhor pra nós!

Continuem visitando o 100Grana.com e até próxima notícia no “100Grana Ouviu”!

Leia as colunas anteriores.

Leia mais sobre Música.

Anúncios

12 comentários em “100Grana ouviu: Os Velhões do Rock Estão de Volta!?

  1. Ei, Gabbay, não sei como isso tá, mas o Scorsese tinha (ou tem, ou teve, não sei) um projeto pra fazer um documentário sobre os guitarristas de blues preferidos dele, o que inclui o Stevie Ray Vaughan. Sabes em que pé isso anda?

    E a coluna tá mto boa! E eu que andava pensando num dia desse que precisava e me atualizar e deixar de escutar Pearl Jam como a banda mais recente do meu setlist, rs. Ainda tem tb o show do Iron Maiden esse ano! Não é da praia dos anos 70, mas que eu queria estar lá, queria!

  2. O rock morreu em 92, heheh

    A banda mais nova que eu ouço são os Ramones.

  3. o correto nome do dvd num é a bigger band? ou será que a idade stá me alcan;cando?
    XD
    no mais a coluna está muito boa

  4. sou da geração dos the estrokes!! ha seja bem vinda!

  5. somos dois wall-!
    inveja é do meu pai que foi no primeiro rock in rio

  6. PORRA teu pai foi no Rock in Rio I, Roberto?!?!?!?! Que paidégua!

    Pergunta se ele chegou a tocar na bola gigante do show da Blitz!!!!! Cara, como eu queria ter ido… mas eu era um molequinho e só vi pela tevê.

  7. nem nascido eu era nessa época…
    ele vendeu o fusquinha dele pra ir cara… e viu todos os shows

  8. Pô, em tempos de Simple Plan, TPM 22, as bandas Emo, que com roupagem e atitudes antagônicas, sofrem do mesmo mal que os tecnobregueiros: vc nunca sabe quando acaba e começa outra música, seja de uma bando ou de outra. Aí vcs queriam o quê? Antes a velharada boa, do que a “merdiocridade” (junção das palavras medíocre e m…) geral da música.
    Até o hip hop que chegou a me animar há uns anos atrás, se resumiu a um negão cantando e uma “ploc” rebolando.
    Viva os velhotes!!!!!!!!!!!!!!!

  9. DEPENDE dos velhotes! nem tudo q é novo pode ser rotulado como EMO e em relação ao tecnobrega não posso apinar pois não conheço bem o ritmo..a hip hop bom escuta o JAy-Z

  10. hoje em dia muita coisa não presta é verdade. ainda existem poucas bandas que se salvam hip hop é nosso funk: dinheiro na mão calcinha no chão

  11. Depende dos velhotes mesmo, nem todos tem o bom espírito de continuar experimentando e arriscando, muitos embarcam na mesma onda de regravar e regravar, isso é muito chato! E sobre os novos eu acredito que tem muita gente boa, mas sem foco, a grande indústria faz parecer que não tem nada além das telas, mas tem muita coisa boa por aí… Valeu pelos comentários!

  12. […] – Os Velhões do Rock Estão de Volta? […]

Comenta, liso! É grátis.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: