7 Comentários

100Grana Foi Lá: Exposição “Ziraldo em Cartaz”

Com a colaboração mais do que especial de Cláudia Nascimento, conseguimos visitar a exposição de um dos maiores cartunistas do Brasil.

Representado pela autora do blog Marcos do Tempo, especializado em arte e cultura, o 100Grana esteve na exposição no Rio de Janeiro. Com a palavra, a própria Cláudia:

Por Cláudia Nascimento

Ziraldo em Cartaz. É o nome da exposição que lançou o livro com o mesmo nome. A exposição eu fui, e me apaixonei. O livro homônimo que foi lançado no dia da abertura da exposição, de Ricardo Leite. Infelizmente, como lisa que sou, não pude pagar os R$ 120,00. Mas já pedi para o Papai Noel, vamos ver se ele me quebra essa. A pesquisa de Ricardo Leite envolveu mais de 400 cartazes produzidos em cinco décadas, uma pérola!

Para mim Ziraldo é mais que um excelente desenhista, cartunista, criador… Ele faz parte da minha história, meu conjunto de referências pessoais perpassa pela produção do Ziraldo. E muito mais do que eu poderia imaginar, como pude ver na exposição. Quem está habituado com a tipografia ou com o traço, característicos dele, vai se espantar em saber que cartazes de filmes como “O Assalto do Trem Pagador” e “Os Cafajestes” são criações dele.

trem pagador

Sobre a exposição: o painel de abertura já é objeto para ficarmos admirando por horas. Centenas de reproduções de cartazes, das mais diversas épocas, permitem que a gente possa fazer um tour pela produção do Ziraldo, ou mesmo um teste do tipo “quanto fã do Ziraldo você é”! Antes de entrar na exposição, só no painel, já daria para fazer um trabalho de educação estética e comparativa. A gente sabe que aquilo é só um recorte na profícua produção de Ziraldo que, além dos cartazes, produziu centenas de livros e, especialmente, idéias.

painel de abertura

Mas, vamos entrando na exposição. A simpática equipe é um capítulo a parte. O edifício eclético, conhecido como Mansão Figner é utilizado como espaço cultural do SESC Flamengo, na Rua Marquês de Abrantes. Ladrilho no piso, pintura parietal, piso em madeira de lei bicolor, estruturas metálicas, escadaria em pedra. É um espaço lindo e digno, bem cuidado e a museografia parece perfeita para aquele lugar.

Além da exposição em si, que contém peças originais, uma série de painéis articulam imagens e textos, de forma inteligente e auto-explicativa. Alguns trabalhos mereceram destaque especial. O cartaz do I Festival Internacional de Canção Popular, por exemplo, vinha com o seguinte texto, do próprio Ziraldo:

“Qual é o canto que o mundo inteiro conhece?”, perguntei para o Marzagão. Respondi: “só tem um – o do galo! Tem galo cantando em todo lugar.” Marzagão falou: “Faz o galo!” Enquanto existiu o festival, o Marzagão não abriu mão do galo nos cartazes. Por isso, em todas as edições tem o mesmo desenho. O original, inclusive, está com ele.”

O cartaz da Feira da Providência, quem diria, há mais de quatro décadas é criado pelo Ziraldo! Um painel especial reproduz todos os exemplares, trazendo uma peça gráfica da XXXVI Feira da Providência, de 1996!

Feira da Providência Cartaz

Nesta mesma sala temos alguns originais: lay-outs e artes-finais que parecem ter sido retirados da prancheta do Ziraldo e lançados num túnel do tempo (claro, pois não se faz mais acabamento com guache branco e nanquim!). No tempo do Corel-Draw fico imaginando a dificuldade de, no futuro, qualificar um artista gráfico e saborear o seu valor numa peça original, com direito a anotações a lápis e marcas de corte. É uma delícia perceber a firmeza do traço do Ziraldo, do uso de técnicas como aquarela, nanquim, acrílica e outros materiais.

Lay-outs

Outro tipo de original: gravuras. Peças assinadas e numeradas, de séries fechadas e P.A. (Prova de Artista) e P.I. (Prova do Impressor). As P.A.s e as P.I.s, só para que possa ser entendido pelo não iniciado, não peças prontas, mas que o artista, por alguma opção (talvez mudança de alguma cor ou elemento), resolve não produzir como série, tornando-se peças únicas!

PA assinada

Das séries e personagens que ele criou, temos várias peças da série “Os Zeróis”, onde ele brinca ironicamente com situações em que os super-heróis se mostram com dores humanas, das mais escatológicas possíveis, como um super-homem na latrina, a clássica explicação para o grito lancinante do homem das selvas, ou ainda de onde vem a fama de que os super-heróis não são bons de cama! Estão todas lá!

Os Zeróis (3)

E para quem sentiu falta de alguma coisa, um vídeo-documentário com o Ziraldo contando sua vida, sua trajetória artística e como suas personagens foram surgindo no meio disso. Todos estão lá: as crianças, os heróis, os homens comuns e, é claro, a Super-Mãe! É como sentar numa sala e bater um longo papo, bem mineiro… E se depois de tudo isso ainda precisar degustar um pouco mais, que tal uma sala de leitura? Dezenas de títulos de Ziraldo, inclusive o livro Ziraldo em Cartaz, para delícia dos gulosos!

Simples e genial, como toda produção do Ziraldo.

[Juro que tentei fazer uma resenha crítica e apontar algum ponto negativo. Sim, tem: poderiam ter usados vidros anti-reflexo para que nós, lisos, pudéssemos levar as imagens com qualidade e poderia ter cópias do vídeo à venda]

Mas aí, achando que a gente poderia falar mal de alguma coisa, na saída da exposição nos dão um folder que, na verdade, é uma reprodução de um dos cartazes em tamanho original!

Imperdível!

Confira na galeria mais uma penca de fotos sobre a exposição:

SERVIÇO:

Ziraldo Em Cartaz, exposição reúne 22 originais e museografia baseada no livro homônimo, lançado pela Editora Senac Rio (R$ 120,00; 292 págs).

A exposição tem entrada gratuita e fica em cartaz até 1º de novembro no Arte Sesc (Rua Marquês de Abrantes, 99, Flamengo.)

Informações: 3138-1343.

7 comentários em “100Grana Foi Lá: Exposição “Ziraldo em Cartaz”

  1. Cara Claúdia,

    o relato ficou excelente. Muito obrigada.

    Abraço,
    Ana Maria Santeiro

  2. Claudia,

    Boa dica.Lembranças de trabalhos que fazem parte da nossa vida.
    Super mãe,o Tarzan com a Jane,Super-Homem,…muito bom.

    Abraço

    Solange

  3. Excelente!
    Essencial pra quem é designer!

  4. ziral qual é a data de seu aniversario pra min fazer a prova na escola porfavor

  5. NOSSA! Obrigada mesmo pelos comentários! Especialmente da Ana Maria Santeiro, a responsável pela exposição! Será que a gente consegue trazer essa exposição pra Belém?

Comenta, liso! É grátis.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: