28 Comentários

100Grana Viu: Transformers, O Lado Oculto da Lua

Tá, o Michael Bay repetiu alguns erros chatolinos, mas entrega um filme melhor do que A Vingança dos Derrotados.

Depois do último filme da série Transformers, eu achei que, por mais que tivessem milhares de ganchos para uma continuação, eles poderiam parar por ali, o famoso “já deu o que tinha que dar”. Tanto que passei longe das prateleiras na hora de comprar o DVD do segundo filme, preferindo só a primeira versão.

Mas eis que veio o terceiro, e eu acabei indo conferir o que mais podia ser explorado. Égua, não é que os caras conseguiram entregar um bom filme? Assim, ele consegue a primeira coisa básica, que é, no mínimo, apaziguar a má impressão de Transformers: A Vingança dos Derrotados, e o mais curioso é que o filme não abriu mão de erros do primeiro e segundo filme, sobretudo do segundo. Mas que erros são esses?

Em entrevista durante a pré-produção do novo filme, Shia LeBeouf disse que o elemento humano havia se perdido, e que eles pretendiam redimir isso na nova aventura. Ora, eu acho, e não sei se vocês concordam comigo, mas a questão é justamente que eles erram ao achar que os humanos tem que ter uma autonomia maior, afinal os Transformers dão nome ao filme e deveriam, por regra, ser os protagonistas, tal qual todas as versões animadas, incluindo a clássica dos anos 80, e não é isso que acontece. Boa parte do que acontece no desenrolar do filme, sobretudo em seu clímax, tem a importância dos humanos ressaltada, e por muito pouco, não deixam os seres Cybertronianos de fora.

É uma necessidade meio besta de mostrar que os seres humanos não estão ali de coadjuvantes para Autobots e Decepticons, que protagonizam algumas das cenas mais importantes e violentas do filme, em especial Optimus Prime, que neste filme, mostra seu lado soldado como nunca. Se vocês acharam a cena da floresta em Transformers 2 bacana, vocês que se preparem…

Schockwave tocando o terror

Outra coisa: Se Transformers: O Lado Oculto da Lua é um desfile de escolas de samba, ele sofre de dois problemas: harmonia e evolução. Sempre viciado em panorâmicas e câmera lenta (teria ele em Zack Snyder um herdeiro?), Michael Bay pega pesado sobretudo na última, o que é ruim para um filme com mais de duas horas de duração, que em seu ato final, por pouco não arranca um bocejo deste que vos fala. Repito, isso só não rolou porque o filme trouxe um grande melhoria em cenas de ação, em momentos dramáticos e reviravoltas surpreendentes. As cenas de humor no filme, das quais reclamei bastante no último filme, aqui no caso, servem mais de contraponto a toda uma dramaticidade que vemos na tela.

A cena mais mentirosa do filme =)

Agora, vamos falar de coisas boas. Achei interessante que, da mesma forma que Mathew Vaughn fez em X-Men: Primeira Classe, o filme se valeu de fatos reais para desenvolver a trama. Aqui,  a conhecida corrida espacial  dos EUA nos anos 60 tem sua verdadeira motivação revelada: a investigação de um impacto ocorrido no satélite natural da Terra, nos anos 50, na verdade o pouso forçado de uma nave fugitiva de Cybertron e nos dias de hoje, os Decepticons tentarão utilizar a tecnologia da nave para conquistar a Terra, num ataque em larga escala que realmente assusta.

Vamos às avaliações. Quem se destaca no elenco humano são os novatos: Frances MacDormand, Patrick Dempsey, Ken Jeong e John Malkovich. Calma, não esqueci de Rose Hunthigton-Whiteley, falo dela depois. Mas alguns desses tem uma importância na trama bastante significativa, e falar mais estraga a surpresa de quem ainda não viu.

Sim, a Rose. Com a demissão de Megan Fox, após confrontos públicos com os produtores, a impressão que dava é que a modelo da Victoria’s Secret, em seu primeiro papel num filme, ia só cumprir papel de enfeite. Digamos que ela cumpre isso e um pouco mais. Primeiramente, ela soa bem mais simpática na tela  que sua antecessora, e digamos que ela me fez dar uma gargalhada sonora no cinema. Direi apenas o seguinte: o que uma futricagem de mulher não faz…mas enfim, o que mata mesmo é que a coisa mais mentirosa do filme é acreditar que uma mulher daquelas vai dar bola para um pobretão com a cara do Shia LeBeouf.

Falando na personagem de Whiteley, uma curiosidade: ela se chama Carly, e os fãs das antigas reconhecem este nome como sendo o da namorada/esposa do Spike Withwicky, e mãe de Daniel, na série G1 (Generation One). Esse é um dos aspectos que tornam este filme o mais próximo da versão clássica que alguns de nós vimos na TV, nos anos 80: Optimus finalmente tem uma carga (e com utilidade) no modo caminhão, o detector de Energon, o teletransporte, a Arca, e por aí vai. O próprio filme tem uma trama que remete à um episódio da série clássica.

O que eu acho é que eles poderiam também ter explorado mais a questão da receptividade dos humanos ao Transformers, tipo, se tinham medo,raiva, como até já vi rolar numa minissérie em quadrinhos famosa lançada pela Dreamwave faz alguns anos.

Nas vozes dos robôs, Peter Cullen honra sua versão de Prime, Hugo Weaving mantém seu excelente trabalho como Megatron (pela primeira vez na série, um veículo terrestre), Frank Welker (que dublava Megatron em G1) volta ao papel de Soundwave e Leonard Nimoy (o Spock, porra), saindo rapidamente da aposentadoria, empresta sua voz para o antecessor de Optimus, Sentinel Prime. Aliás cabe aqui uma curiosidade: Nimoy dubla um transformer  pela segunda vez em sua carreira, pois no longa-metragem animado dos anos 80, ele dublou Galvatron, a versão reconstruída do Megatron.

Ah, um aviso: o final do filme pode causar estranheza, eu estranhei um pouco, mas não muda o fato de que Michael Bay (aparentemente) fechou uma trilogia de forma decente, mesmo repetindo alguns vícios de linguagem, mas pelo menos se redimindo do filme de 2009. Isso, com certeza!

 Cotação: Rs$8,00

Anúncios

28 comentários em “100Grana Viu: Transformers, O Lado Oculto da Lua

  1. uhauhauhau! porra, não é muito difícil ficar melhor que o 2, já que é um dos piores “filmes” que vi na minha vida!!!

  2. Gostei bastante da crítica, 100 grana! Legal, imparcial, levantando erros e as partes boas, num todo! Me deu mais vontade de ir ainda!

  3. Dou R$4,00. Pelas cenas de luta entre Autobots e Decepticons. E olhe lá. Em breve, crítica no Ponto Zero =)

  4. Assisti o primeiro e me arrependo até hoje.
    Vi a tal cena da Floresta no 2 em uma locadora e não
    entendi bulhufas de tantas cores se retorcendo na
    tentativa de ser mechas.
    Já esse 3 o treiler me assustou muito ò_ó
    @ Tereza Jardi

    Embora eu não tenha visto, eu acho que nem vale a pipoca murcha que ficou
    de baixo das poltronas ^^

  5. Ainda não vi o filme, mas posso já dizer que detestei!

  6. Diante do que foi exposto, estou curioso pra assistí-lo quando sair em DVD….é difícil transpor de uma mídia pra outra,neste caso desenho pra live-action, a equipe teria que ser fã ou conhecedor profundo da franquia para evitar certos erros,incoerências e afins com o material de origem…se Michael Bay queria enfatizar o fato humano deveria ter se inspirado em Transformers:Superlink (Energon-Brasil,EUA),onde a história não se restringe apenas a Optimus,Roadbuster e cia dividindo espaço com o personagem Kiker que tem a habilidade de sentir a presença de Energon…

  7. Porra… Concordo 100% com o 100grana.com dessa vez!!
    fui ver o filme na pré-estreia e sai mt supreso…
    depois da grande decepção que é o segundo n estava esperando muito deste filme…
    acho justa a nota 8,00 (daria 8,5)
    a cenas de piadas ainda são horriveis… poucas realmente sao engraçadas
    só que dessa vez n estragam o filme… como vemos no 2

    neste os robos n tem testiculos,gases,n querem encoxar a ninguem.
    ver Transformers no cinema é uma experiencia mt boa….
    apesar de ser (todos os 3) fraco em roteiro….
    o Michael Bay faz com maestria as cenas de ação.

    falows

  8. É,vou ter que ver o filme do Jin Carey mesmo…

  9. legal, vou assistir final de semana, cara por ser um filme de robo eu gostei do 1 e 2, nunca assisti nenhum desenho, assisto aos filmes sem pensar em comparações, mas de boa.

  10. Com relação à critica do Sérgio, concordo com alguns ( a maioria ) parágrafos e com outros não. Assistia esporadicamente os desenhos nos anos 80, vi os dois primeiros filmes e sinceramente, quase vou embora da sessão antes do final, pois o filme é extremamente e desnecessariamente longo. Mas lembrei do preço do ingresso e fiquei até os créditos. Na verdade, tudo é excessivo, o roteiro ( ? ) demora para engrenar e os ufólogos irão vibrar com a explicação do start para a corrida espacial e até o Buzzy Aldrin ( se não me engano, o segundo homem a pisar na lua, depois do Armstrong ) aparece para corroborar com o roteiro. Nunca se gastou tanto em efeitos especiais, o diretor usou o que de melhor a tecnologia pode oferecer nos dias de hoje. Gostei da presença do John Turturro ( do ótimo Quiz Show, vale a pena ver ), assim como nas outras partes e o Patrick Dempsey ( que lembro menos por Grey’s e mais por um filme dos anos 80, Namorada de Alguel, tambpem recomendo ). Ah, sim, a voz do vulcano Spock em um filme é sempre genial.
    Marcelo Ferreira – Estação Genesis

  11. Eu gostei, e gostei bastante. As piadas funcionam, a mocinha funciona (boa surpresa), o argumento é excelente e bem desenvolvido – na medida do possível e limitações do diretor, o som – bem o som é um negócio digno de Oscar e de todos os outros prêmios, as surpresas e reviravoltas na história realmente deixam o filme ainda mais divertido e interessante.

    Minha principal crítica vai para a falta de ritmo em alguns momentos. Mas esse é outro problema com o estilo de direção do Michael Bay. Então ele compensa dirigindo cenas de ação como poucos. Cabe o registro de que concordo com o Sérgio sobre o excesso de atenção ao protagonistas humanos.

    Gostaria de fazer outro registro aqui quanto ao uso da tecnologia 3D: esse é o live action 3D com os melhores resultados disparados até o momento. Acho inclusive que 3D deveria ser aplicado exclusivamente para filmes desse gênero, com algumas poucas excessões.

    O filme é longo, mas eu toparia assistir a pelo menos mais meia hora de pancadaria de robôs se isso estivesse disponível.

  12. Hahaha hoho hihih hahah…esse filme não me pega não…
    verei quando passar na tv.
    O primeiro foi +-
    o segundo …bem, sem comentarios..
    esse não me pega..

  13. Assisti e achei o final uma bosta! que jeito mais estupido e acabar com um puta filme, o cara quis competi com a JK Rowling pra ver quem fazia mais tragédia e quase mato a galera. Vá a merda o Michael bay com esse final estupido!!!
    E “aham” que o Opitimus deu conta de 2 com um braço só.
    e q q o cachorro da Mikaela tava fazendo com o ex dela? seila, pra mim q ficou um monte de ponta solta, ficou uma droga. E essa necessidade de mostrar que a humanidade é alguma coisa ficou um saco! sério não precisava mesmo, tipo foda-se, somos formigas e ponto.
    E que jeito mais “viajado” do starscream morrer!!! WTF!!!
    esse filha da puta tava com preguiça mesmo de fazer uma historia que prestasse, arrazou nos efeitos e especiais e só!
    Esperei muito por merda nenhuma.

  14. Fico com a impressão que os fãs do Transformers se enganam com esse filme. Ou tentam. É tanta a esperança de ver uma boa adaptação que fica a condescendência com qualquer coisa que chegue às telas. Catando pérolas de inspiração num mar de mediocridade.

    Fujam dessa, amigos. Apliquem o dinheiro de vocês num entretenimento que não ridicularize vossa paciência e inteligência. Quem avisa, amigo é.

    Michael Bay, tô fora.

  15. Pára tudo! WTF! Isso vai dar o que falar. Eu não vi nenhum dos dois filmes, alguém confirma se o vídeo é quente?

  16. Sim, o video é quente, eu assisti esse video antes de ir ao cinema e fiquei prestando atenção, mas não ficou tosco, quem nunca assistiu A Ilha ou não viu esse video, passa despercebido

  17. tive a experiencia de ver este filme no IMAX 3D….e cara… to falando “Meus Deus ” até agora, não sei se foi pelo fato de ter visto no IMAX, mas esse filme ta no topo da minha lista!!! Ficou muito muito muito BOM. Vou ver de novo amanha num cinema normal para ver se mudo de opnião…mas axo dificillll hehehehehe
    cotação: 9,9

  18. @Apolo

    Boa…to contigo nessa.
    Da até pra entender quando um fã (se bem que ser fã é meio
    exagerado ao meu gosto) de HQs, desenhos e afins passam por
    um euforia na espectativa de adptaçoões descente, mas não
    consigo compreender como eles se iludem com tamanhas tosqueiras:
    G. Joe, Transformes, X-man e afins. Vai entender.

    @Antonio Fonseca

    Não consigo compreender ou digerir o fato de como um alienigena
    especialmente MECHA pode ter senso de humor, ainda mais quando
    os mesmo vivem a anos em querra.

  19. Bem, o problema não é ficar tosco ou não, o problema é que um cara que faz um auto-plágio desse tipo com certeza não se leva a sério como diretor nem respeita o público. Porra, você vai no cinema pagando pra assistir uma obra nova e inédita e ele trabalha em cima de recalchutagem? Ridículo. Esse Michael Bay é um mané.

    Por isso que eu insisto, não adianta ficar catando ponto forte em filme ruim. Melhor pegar a grana, o tempo, a paciência e a disposição e ir assistir algo que é feito com intenção de ser interessante, de ser bom. Não interessa se é filme de ação, terror ou drama. A menos que seja pornô; aí tanto faz.

    Financiar porcaria é foda, viu!

  20. eu tenho mó vontade de assisti em IMAX 3D q deve ser bem legal, Fora isso, meh…

  21. @Topera, eu vivi essa desilusão amorosa com o Homem-Aranha, e antes que taxem de pederastia, explico que eu lia as histórias do antropoaracnídeo (opa! Gostei dessa!) desde pequeno e fiquei empolgado pra ver o primeiro filme, principalmente pela direção do grande Sam Raimi.

    Mas apesar da boa vontade, percebi rapidamente que o cinema hoje em dia e principalmente essas adaptações são meros produtos dessa indústria implacável, onde “ser um bom filme” não é o principal objetivo. A Marvel/Disney, DC tem várias metas e estratégias de merchandising, prasos, e mesmo pra um bom diretor e até um bom roteirista, atender essas exigências torna-se um sufoco. É muita grana rolando, é produtor querendo personagem desnecessário pra vender boneco, é pesquisa de mercado… e o próprio consumidor não sabe o que quer. Reclama, reclama, reclama e nem sabe do quê.

  22. O que mais me incomoda é a velha frase: “tem filmes que pra você curtir tem que deixar o cérebro em casa e relaxar”
    Primeiro, é que me divirto muito mais quando minha inteligência é acionada! Segundo, meu cérebro não tem botão de liga-desliga e se ofende facilmente.

  23. @Apolo

    Por isso que antes de ir assistir qualquer adptação eu dou uma lida nas críticas,
    não que eu não tenha a minha opinião formada, mas as vezes é bom previnir do
    que remediar.

    E realmente os Diretores hoje em dia passam um mal bocado. Prova viva disso foi
    o Spiderman 3. Uns dizem que o diretor quis boicotar e outros dizem que ele errou
    na mão. Entretanto…que teve muito executivo buzinando na orelha dele isso teve. E
    quem sabe ele realmente não boicotou mesmo só de bronca ?

  24. @Topera

    O Sam Raimi fez um mea-culpa depois de Homem-Aranha 3, pediu desculpas pros fãs e tal… mas acho muito possível que seja uma questão de consciência, de ter feito concessões ao estúdio por motivos nada nobres. O diretor também é um artista, e todo artista faz uma merda de vez em quando e não se orgulha daquilo. Mas será que esse é o caso do Michael Bay? Olha o vídeo que o @Renato M postou… a gente fica se perguntando o que passa na cabeça de um diretor que faz isso. Porque o que entra no bolso, a gente já sabe. Não sei se o Raimi boicotou o SM3, mas se foi isso, é uma sacanagem com os fãs. Gostaria que não fosse o caso, mas vai saber.

    Parêntese: Sei que tem gente aqui que deve me achar um chatão, super radical, reacionário talvez. Mas é que eu acredito que é uma batalha que o público tem que comprar. Tem que reclamar, criticar e exigir – com consciência, e não gratuitamente, pelo amor de Deus – para que a indústria não fique pior do que já está. Afinal, o Tiririca não se elegeu sozinho, certo?

  25. O engraçado é que a 2 anos o Sérgio foi só elogios para o segundo filme, como agora fala mal dele?
    mas falando do filme, me doi dizer, mas achei pior que o segundo, o filme começa perfeitamente bem(e como começa bem…), comedia sem estrapolamento, e muito boa por sinal, só achei forçado as cenas com Ken Jeong e aquele gordao, que faz o Calvin em Eu a Patroa e as crianças, o resto perfeito, as sequencias de açao até antes do climax tambem otimas, e é aí que eu comecei a odiar literalmente o filme açao é bom, mas ação demais, sem interupção enjoa e agente perde o tesão pelo filme, é isso o que acontece aqui, como no segundo filme só que piorado. Chega uma hora, que agente começa a torce pro filme acabar logo, independente de quem vença a guerra ali. Otra é que a musica do Linkin park não é tao impactante quanto as otras, combinaria mais a ja classica “In the end” ou até “Numb”. e Tambem o personagem do John Malcovich começa bem, so que depois some e fica meio sem explicaçao ja que ele viu o Bumblebee, devia reaparece, e o persongaem do Patrick Dempsey, na luta final, aparece e some várias vezes seguidamente.
    Aposto me chamaram de troll, e me chingarão ate dizer chega aqui, mas foi é a minha opinião infelizmente, para com o filme, assim sendo o primeiro filme pra mim, é um dos melhores blockbuster já feitos ainda, o melhor da saga, o melhor de 2007, e etc, mas suas continuações são apenas assistiveis nada há mais.

  26. Bem,

    A divergencia de opiniões está bem acentuada em todos os sites que visitei.
    Devo dizer que o Apolo tem a opinião que mais se aproximou da minha. Não gostei do filme.
    A nova mocinha é uma versão piorada da já ruim Megan Fox. Suas “caras e bocas” ao estilo Jennifer Garner são ridículas. E o Michael Bay pior ainda. Bela forma de se introduzir uma personagem importante: um enquadramento BEM NO MEIO DA BUZANFA. Parece até filme pornô.

    E porque cargas d’água o cara ficou alfinetando a Megan Fox durante o filme?
    – “Ela era má”.
    – “Ela me deu um chute na bunda e eu arrumei coisa melhor”.
    E ainda por cima deram à Carly um inédito diálogo com um robô que era pra ser da Mychaela. Provavelmente pra ver se a garota corta os pulsos ao ver aquilo. Pura falta de profissionalismo do Sr. Bay.

    E não vou nem falar da sequencia final arrastadíssima e com direito a um prédio que levou meia hora pra cair. E os “fã boys” de Harry Potter ainda querem a “Batalha de Hogwarts” com 15 horas de duração. Tu tá é doido, Mano!!!

  27. Miro, realmente fui elogioso, tinham coisas boas ali, mas também apontei os furos e erros, e de fato, no segundo infelizmente o resultado final não ficou bom.

    E não tem essa de troll, não, rapá. Opinião é para ser compartilhada mesmo 😉

  28. ótima critica,uma das melhores que eu li sobre esse bom filme!!!!parabens rapaziada!!!

Comenta, liso! É grátis.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: