10 Comentários

Filmes da semana na TV Aberta: Elektra, Eddie Murphy e outros…

topo1.jpg

Adaptação de quadrinhos, filme de bicho, comédia… O de sempre, porém com algumas coisas bastante interessantes pelo meio.

Por Vinicius Passos, Danilo Passos e Diego Andrade

  • Segunda, 10 de março

A Incrível Jornada II: Perdidos em São Francisco
(Globo, 15h55)
Homeward Bound II: Lost In San Francisco, de David R. Ellis. Com Robert Hays, Kim Greist e Veronica Lauren. EUA, 1996, cor, 89 min. Aventura – A família de Bob tem três animais muito queridos por todos: os cães Chance e Shadow, e a charmosa gatinha Sassy. A família vai passar férias no Canadá e resolve despachá-los separadamente em gaiolas. Ainda no aeroporto, os animais escapam e se perdem em São Francisco. Na cidade grande, eles enfrentam chuva, fome, carrocinha e a saudade dos donos.

Filme de bichinho. E todo mundo já assistiu. Fato trash: Robert Hays foi o piloto sequelado de Apertem os cintos, o Piloto Sumiu 1 e 2. Deve ter recebido o cachê em ração.

Elektra
(Globo, 22h25)
Elektra, de Rob Bowman. Com Jennifer Garner, Terence Stamp e Will Yun Lee. EUA, 2005, cor, 97 min. Aventura – Torturada pelo passado, Elektra é obcecada por sua morte e seu misterioso renascimento. Apesar de ter sido treinada na rígida disciplina do ¿ninjutsu¿, ela não consegue controlar a fúria que sente pela morte dos pais. Sua ânsia por vingança faz com que ela parta para o exílio e se torne uma perigosa assassina profissional.

Para todo mundo, incluindo seu Innukchuck, que diz que a gente é marvete: Esse é um dos, se não for o mais, vergonhoso do filmes da era moderna da Marvel. Uma assassina que mata uma só pessoa, vai para as missões vestida de abadá não tem a menor condição. Terence Stamp, que havia sido o supremo General Zod em Superman II, traz um pouco de dignidade ao engodo. Jennifer Garner é muito, muito, muito gata, mas tem que comer muito feijão com arroz e ler muita HQ para ser a Elektra.

elektra.jpg

A Cartomante
(Globo, 1h35)
A Cartomante, de Wagner de Assis e Pablo Uranga. Com Deborah Secco, Luigi Barricelli e Ilya São Paulo. Brasil, 2004, cor, 90 min. Drama – Camilo é salvo da morte por seu amigo e médico Vilela. Mais tarde, Camilo conhece Rita, a bela noiva de Vilela e se apaixona pela mulher de seu amigo. Rita, em dúvida sobre o futuro, decide consultar uma cartomante para ajudá-la a tomar uma decisão.

Baseado em conto do grande Machado de Assis, para muitos o maior escritor brasileiro. Pra quem gosta de mulher no comando, tem Giovanna Antonelli estuprando Luigi Barricelli, além de Sílvia Pfeiffer “se coisando” com Deborah Secco. Vale muito. Este vídeo e o outro, NÃO SÃO recomendados para menores de 18 anos. Estamos avisando. Fizemos nossa parte.

Inocente Veneno
(Globo, 3h15)
Pretty Poison, de David Burton Morris. Com Grant Show, Wendy Benson e Lynne Trigpen. EUA, 1997, cor, 85 min. Suspense – Em liberdade condicional, Dennis comete um grande erro ao se apaixonar pela aparentemente bela e meiga Ann que, na verdade, é uma mulher misteriosa e esconde um terrível segredo. Enquanto não descobre as mentiras de Ann, a vida de Dennis corre risco.

“Uma mulher misteriosa e esconde um terrível segredo”. SuperCine ALERT!

  • Terça, 11 de março

Nossa Querida Babá: O Conto de Fadas Continua
(Globo, 15h50)
Au Pair Ii, de Mark Griffiths. Com Gregory Harrison, Heidi Lenhart e Jake Dinwiddie. EUA, 2001, cor, 97 min. Comédia Romântica – A babá Jenny conquistou o coração de seu patrão milionário, Oliver, e de seus dois filhos, os pequenos Alex e Kate. Antes do casamento, entretanto, Oliver enfrenta problemas com os filhos de seu sócio que acabam atrapalhando seu noivado.

Mais um de 586 filmes sobre babás gostosas que se apaixonam pelos patrões e deixam de ser babás. Na vida real, elas não deixam.

Fenômeno II (ou “Paraíso Perigoso”, opção do Intercine)
(Globo, 1h05)
Phenomenon II, de Ken Olin. Com Jill Clayburgh, Peter Coyote e Christopher Shyer. EUA, 2003, cor, 93 min. Ficção – George tem 33 anos e é um mecânico boa-praça de uma pequena cidade americana. Atingido por uma estranha luz no dia do seu aniversário, ele passa a demonstrar sinais de rara inteligência, além de poderes eletromagnéticos. Ao decifrar um código militar de segurança, ele acaba despertando a desconfiança da agência secreta americana.

Paraíso Perigoso (ou “Fenômeno II”, opção do Intercine)
(Globo, 1h05)
The Paradise Virus, de Brian Trenchard-Smith. Com Lorenzo Lamas, Melody Thomas Scott e Ralf Moeller. EUA, 2003, cor, 89 min. Drama – Linda e seu filho estão de férias em uma ilha. Ela conhece Paul, dono de um hotel, e se apaixona. Um acidente, entretanto, altera os planos de Linda. A caminho do hotel, um homem cai inanimado na frente do jipe que os transporta. Linda, especialista em doenças infecciosas, percebe que o homem sofre de um vírus contagioso e o está espalhando para os habitantes da ilha.

A primeira opção é uma sequência/remake do filme com John Travolta e trilha de Eric “God” Clapton, com Terry O’Quinn, o Locke de Lost, no elenco. A segunda opção tem Lorenzo Lamas. Sem o menor combate. Fique com o clipe de “Change the World”, de Clapton, da trilha do filme orginal:

Viva Zapata
(Globo, 2h45)
Viva Zapata, de Elia Kazan. Com Marlon Brando, Jean Peters e Anthony Quinn. EUA, 1957, P&B, 113 min. Drama – O líder mexicano Emiliano Zapata tentou implantar um regime democrático por meio de suas armas. Sua luta começou quando ele e seus amigos lavradores foram até o presidente reclamar por suas terras, que eles alegam terem sido roubadas. Em troca, o grupo recebe promessas não cumpridas.

Um clássico. Ponto. Marlon Brando – O Poderoso Chefão -, Anthony Quinn, Elia Kazan na direção de um filme sobre o revolucionário mexicano Zapata, cujas crenças ressoam até hoje pelo país.

  • Quarta, 12 de março

O Outro Eu
(Globo, 15h55)
The Other Me, de Manny Cot. Com Andrew Lawrence, Mark L. Taylor e Lori Hallier. EUA, 2000, cor, 90 min. Comédia – Garoto que detesta estudar deve comprar um kit para fazer um trabalho de ciências, tirar notas altas e livrar-se de castigos futuros. A experiência que ele resolve fazer para a aula de ciências, por engano, resulta na criação de um clone que, para sua sorte, poderá resolver seus problemas.

Andrew Lawrence é irmão de Joey Lawrence, o Joey do seriado Blossom. Os dois, mais outro irmão, são figurinhas fáceis em filminhos família. Tentaram ser a nova família Culkin (do Macaulay e cia., lembra?), mas não rolou. Resultado, ele apelou para Dançando com as Estrelas dos EUA. Fim de poço.

Algum filme da Record

(Record, 23h)

A Emissora não declarou que filme passará nesta sessão. Bom, chutando…. Ou é Hulk, ou Esqueceram de Mim ou Zorro. Façam suas apostas.

Sou Inocente! (ou “Nosso Querido Bob”, opção do Intercine)
(Globo, 1h30)
We’ll Meet Again, de Michael Storey. Com Laura Leighton, Brandy Ledford e Gedeon Burkhard. Canadá, 2002, cor, 95 min. Drama – Apesar de ter cumprido pena de seis anos pela morte de seu marido, Molly Lasch afirma que é inocente. Com a ajuda de Fran Simmons, uma repórter e amiga de escola, Molly sai em busca do verdadeiro assassino de seu marido. Na medida em que as pistas começam a surgir, elas se envolvem em uma perigosa conspiração que pode custar suas vidas.

Nosso Querido Bob (ou “Sou Inocente!”, opção do Intercine)
(Globo, 1h30)
What About Bob?, de Frank Oz. Com Bill Murray, Richard Dreyfuss e Julie Hagerty. EUA, 1991, cor, 99 min. Comédia – Um sujeito estranho e cheio de fobias inicia um tratamento com um famoso analista que vai entrar de férias. O analista planeja tudo para não ser incomodado, mas o cliente não o deixa em paz um único instante devido aos seus problemas comportamentais.

Nem quero saber da primeira opção. Vote logo na segunda. Bill Murray faz aquele parente chato que todo mundo tem. O Luke, do Que Diabos, sabe muito bem do que estamos falando. Direção de Frank Oz, ninguém menos que o Mestre Yoda.

O Marido Ideal
(Globo, 3h15)
An Ideal Husband, de Oliver Parker. Com Rupert Everett, Jeremy Northam e Cate Blanchett. EUA, 1999, cor, 97 min. Comédia – Adaptação da peça homônima de Oscar Wilde. Senhor Robert Chiltern é um político em ascensão na Inglaterra que tem sua reputação ameaçada quando uma mulher chamada Cheveley o chantageia com uma carta do passado. Quem vai ajudá-lo a sair desta confusão é o solteirão convicto Arthur.

Rupert Everett é ator. Mesmo. Pois é cortejado por Julianne Moore, Cate Blachett e Minnie Driver e finge que gosta, mesmo sendo gay militante na vida real. É o mesmo cara que fez par “romântico” com Madonna em Sobrou Para Você.

  • Quinta, 13 de março

Evelyn – Uma História Verdadeira
(Globo, 15h50)
Evelyn, de Bruce Beresford. Com Pierce Brosnan, Aidan Quinn e Julianna Margulies. EUA, Irlanda e Alemanha, 2002, cor, 94 min. Drama – História verídica de um pai, Desmond Doyle, que luta para criar os filhos sozinho na Irlanda de 1953. Doyle fica arrasado quando as autoridades eclesiásticas e os tribunais irlandeses lhe tiram a custódia dos filhos e os colocam em orfanatos. O pai consegue revidar com a ajuda de amigos e de um dedicado advogado.

Pierce Brosnan em um de seus intervalos dos filmes de James Bond, quando geralmente fazia coisa muito melhor. Ele chega a fazer algo neste Evelyn que é incomum: Interpretar um papel.

O Negociador
(Band, 22h)
The Negotiator, de F. Gary Gray. Com Samuel L. Jackson, David Morse e Kevin Spacey. EUA, Alemanha, 1998, cor, 140 min. Ação – Quando o especialista em negociação com seqüestradores, Danny Roman, se torna vítima de uma armação policial para incriminá-lo, ele decide virar o jogo e toma como refém o Chefe da Divisão de Assuntos Internos. A tensão aumenta a cada instante, com a polícia pronta para agir e a mídia noticiando cada detalhe da situação.

Kevin Spacey é um policial honesto. Raro isso. E qualquer coisa com Samuel L. Jackson puto da vida é bom. Desde Um Príncipe em Nova York:

48 Horas – Parte II (ou “O Seqüestro”, opção do Intercine)
(Globo, 0h55)
Another 48 Hours, de Walter Hill. Com Eddie Murphy, Nick Nolte e Brion James. EUA, 1990, cor, 93 min. Policial – O policial Jack Cates alia-se novamente ao ex-presidiário Reggie Hammond para acabar com o terrível Iceman, o chefe de uma perigosa quadrilha de traficantes. Reggie segue as pistas e faz grandes descobertas mesmo com o seu jeito nervoso de ser.

Nem vou colocar a outra opção. Faz muito tempo que esse filme não passa. Eddie Murphy e Nick Nolte antes de caírem no fracasso. Esse merece refri e pipoca.

Tropas Estelares
(Globo, 2h30)
Starship Troopers, de Paul Verhoeven. Com Casper Van Dien, Jake Busey e Dina Meye. EUA, 1997, cor, 129 min. Ficção – No futuro, o Universo é ameaçado por uma raça de insetos com 30 metros de altura, inteligentes e altamente destrutivos. Para derrotá-los, surge o jovem e destemido Johnny Rico, que enfrenta problemas pessoais quando sua namorada se deixa seduzir por seu instrutor.

Fãs de carnificina, chegou a hora. Tropas é um dos maiores representantes do gênero ação + metrancas + mosntrengos aliens. E vai render a parte 3, ainda esse ano, chamada Starship Troopers 3: Marauder. Olha o trailer aí:

  • Sexta, 14 de março

 

    Edward Mãos de Tesoura
    (Globo, 15h45)
    Edward Scissorhands, de Tim Burton. Com Johnny Depp, Winona Ryder e Dianne Wiest. EUA, 1990, cor, 105 min. Aventura – Uma dona-de-casa leva para casa um jovem que havia sido inventado por um fabricante de bolachas. O inventor, entretanto, havia morrido antes de substituir as tesouras que lhe servem de mãos. Paparicado pelas mulheres, por ser exímio jardineiro e cabeleireiro, o rapaz apaixona-se pela filha da hospedeira e acaba sendo perseguido.

    O primeiro filme da hoje tradicional parceria de Johnny Depp com Tim Burton. É quase um pai estético de Sweeney Todd . E traz Winona Ryder como a mocinha, antes da cleptomania e Anthony Michael Hall, que poderá ser visto (não se sabe fazendo o quê) em The Dark Knight, o novo filme do Batman.

    As Quatro Plumas (ou “Nas Montanhas dos Gorilas”, opção do Intercine)
    (Globo, 1h05)
    The Four Feathers, de Shekhar Kapur. Com Heath Ledger, Wes Bentley e Kate Hudson. EUA, Inglaterra, cor, 131 min. Aventura – Após renunciar seu posto, pouco antes de uma importante batalha, um oficial é considerado um covarde por sua noiva e seus amigos, que lhe entregam uma pena branca como símbolo de sua atitude. Decidido a reconquistar a confiança perdida, Harry decide partir para o Sudão resgatar seu amigo Jack Durrance que está em apuros.

    Nas Montanhas dos Gorilas (ou “As Quatro Plumas”, opção do Intercine)
    (Globo, 1h05)
    Gorillas In The Mist, de Michael Apted. Com Sigourney Weaver, Bryan Brown e Julie Harris. EUA, 1988, cor, 129 min. Aventura – Tentando salvar da extinção os gorilas de Ruanda, na África Central, a americana Dian Fossey decide contar os espécimes ainda existentes. Ela estuda o seu comportamento e procura uma maneira de protegê-los contra os caçadores durante vinte anos, até ser barbaramente assassinada.

    O primeiro é mais um filme com o qual a Globo quer homenagear Heath Ledger, o novo Coringa, morto em Janeiro passado. A história se baseia livremente em um livro de 1902, sobre um soldado que decide não ir mais à guerra por conta de estar noivo e é considerado covarde por três de seus compatriotas e a moça em questão, daí as 4 plumas. A outra opção é baseado em uma história real. E Sigourney Weaver sempre explorando os contatos homem-outra espécie, seja terrestre ou não.

    Assassinato em Gosford Park
    (Globo, 3h25)
    Gosford Park, de Robert Altman. Com Maggie Smith, Michael Gambon e Kristin Scott Thomas. EUA, Inglaterra, Alemanha, Itália, 2001, cor, 137 min. Policial – Na Inglaterra, durante a década de 30, o senhor William Mccordle e sua esposa, Lady Sylvia, recebem um grupo de amigos para um fim de semana em sua mansão no campo. O dono da casa é assassinado. Os convidados e os empregados da mansão tornam-se suspeitos do crime.

    Dirigido por Robert Altman, com Maggie Smith e Michael Gambon, respectivamente a Professora MacGonagall e o Professor Dumbledore, de Harry Potter. O “estilo Altman”, de reunir muitos personagens em várias tramas paralelas, fez escola, mas só o prórpio o faz com proeza e maestria.

    10 comentários em “Filmes da semana na TV Aberta: Elektra, Eddie Murphy e outros…

    1. Homenagear Heath Ledger ou lucrar com a morte dele?

    2. lucrar!

    3. oo filme da eleketra oq tem de ruim tem de Jennifer Garner gostosa

    4. Tropas estrelares \o

    5. pooow na record esqueceram de uma das outras opções que eles vivem reprisando
      akele godzilla americano
      =P
      e sempre vi ligaç~eo em tropa estrelares com o jogo star craft só que sem os protoss

    6. Fenômeno II (ou “Paraíso Perigoso”, opção do Intercine)
      (Globo, 1h05)
      Phenomenon II, de Ken Olin. Com Jill Clayburgh, Peter Coyote e Christopher Shyer. EUA, 2003, cor, 93 min. Ficção – George tem 33 anos e é um mecânico boa-praça de uma pequena cidade americana. Atingido por uma estranha luz no dia do seu aniversário, ele passa a demonstrar sinais de rara inteligência, além de poderes eletromagnéticos. Ao decifrar um código militar de segurança, ele acaba despertando a desconfiança da agência secreta americana.

      Não curto remakes com atores desconhecidos. Os produtores disto estavam obviamente querendo lucrar em cima do ótimo filme com o John Travolta. Nesse remake tem a trilha do mestre Eric Clapton (que conseguiu por chifres na cabeça de um Beatle)?

    7. Corrigindo a questão: Nesse remake tem mesmo a trilha do mestre Eric Clapton (que conseguiu por chifres na cabeça de um Beatle)?

    8. muita coisa pr afalar pouco tempo no ELETRICA eheh voce observa a atriz do alias retornando no seu papel inicial como elektra no demolidor do ben aflec (cara q tentou mas n tem rosto de matt mur…) o roteiro adaptado do livro elektra revive, e quantidade de pop sem futuro e o new metal de evanecense, podia ser melhor se os caras tivessem mesmo vergonha na cara de escolher atrizes q lembrem gregas e n magrelas de paris! atriz tentou mas n deram a revista pra ela so o roteiro!

      a incrivel jornada é um filme tipicamente americano mas foi um com emoçao vc torcia pelos animais e pelo shadow q é um cachorro velho q n tinha condição mesmo de suportar o retorno… no dois ocorre um fator sem sentido… depois tem o cao de rua mestre q n quer saber de humanos… e a dalila sem futuro… não vale o q o primeiro foi!

      os filmes realmente mercedores de tempo infelizmente ou estam entre si ou n tem um horario para trabalhadores antigos pivetes dos anos 80 reverem!

      detalhe para o filme da record q foi exibido agora … um voo muito louco com snoop dogg! valeu a pena mas a quantidade de exageros anulam as piadas boas e protestos a situaçoes e racismo, q o negro americano sofre ou deixa sofrer!

    9. eu quero ver o filme o homens das sombras sera que daria para vcs colocar esta semana muito obrigado o meu nome é joel

    10. Não curto remakes com atores desconhecidos. Os produtores disto estavam obviamente querendo lucrar em cima do ótimo filme com o John Travolta

    Comenta, liso! É grátis.

    Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

    Logotipo do WordPress.com

    Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

    Imagem do Twitter

    Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

    Foto do Facebook

    Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

    Conectando a %s

    %d blogueiros gostam disto: